As doze esferas passíveis de inovação dentro das empresas

Diferente da adequação, que é quando uma empresa começa a fazer algo inédito para si, mas que já é prática em seu mercado de atuação, a inovação pressupõe transformar novas ideias em resultados, estejam esses resultados presentes em ganho de receita, ganho de produtividade ou na redução de custos, por exemplo.

Contudo, trazer um modelo de negócio, ideia ou prática de fora do país para seu mercado de atuação pode ser considerada uma inovação, desde que essas ideias sejam inéditas no seu mercado de atuação.

Um serviço online, por exemplo, tem como campo de atuação a internet e, com isso, compete com serviços do mundo inteiro, o que torna improvável adotar uma ideia de outro país como inovação, já que o acesso ao original está disponível da mesma maneira.

Em contra partida, um serviço local, como transporte aéreo, por exemplo, pode adotar um modelo internacional, ainda não presente no país, e conseguir vantagem competitiva em seu mercado de atuação por algum tempo.

Em resumo, inovação é uma ideia em ação que traz vantagem competitiva para a empresa dentro seu mercado de atuação.

A inovação pode estar presente na empresa de diversas maneiras, não só no produto oferecido. A Inno Science, por exemplo, trabalha com doze esferas possíveis para se implementar inovação.

Essas esferas são:

1. Oferta
2. Plataforma
3. Soluções
4. Clientes
5. Experiência do consumidor
6. Captura de valor
7. Processo
8. Organização
9. Cadeia de fornecimento
10. Presença
11. Relacionamento
12. Marca

Ter inovação em duas ou mais esferas ajudam a empresa a ter maior vantagem competitiva no mercado e criam uma barreira à imitação resistente por mais tempo, como explica o Maximiliano Carlomagno:

Assim, dentro do campo da inovação, é importante avaliarmos constantemente como nossas ideias e práticas estão construindo o valor que trará ou manterá a vantagem competitiva necessária para a saúde das nossas empresas.

Citações – Mel Robbins

Temos duas formas de pensamento: o Piloto Automático e o Freio de Mão. Se você tiver uma ideia ou surgir uma vontade de fazer algo que te tire do seu Piloto Automático e não fizer nada físico em 5 segundos, você mata a ideia automaticamente por causa do Freio de Mão que tenta te fazer voltar para o Piloto Automático (regra dos 5 segundos).

A vontade não aprece antes da ação. É a ação que cria a vontade ao criar um novo sistema de Piloto Automático. Você deve se forçar a fazer o que quer.

É doloroso quebrar nosso hábito e criar um novo, por isso temos que acionar isso por nosso esforço.

Nosso corpo e mente sentem necessidade de exploração e descoberta, por isso nos sentimos entediados pela rotina. Quando você se sente preso ou insatisfeito com a vida é um sinal de que alguma necessidade básica sua não está sendo atendida e ela pode ser a de exploração.

Citações – Bertrand Russel

Não creio que ela (avó materna) jamais teve tempo de perceber que estava envelhecendo. Essa, eu acho, é a receita certa para permanecer jovem. Se você tem amplos e variados interesses nos quais você ainda é eficiente, você não terá razão para pensar no fato meramente estatístico dos anos que você já viveu e muito menos na provável brevidade do seu futuro.

Dinâmica consolida jornada do usuário e ajuda a definir métricas

Para ajudar a equipe de negócios a definir melhor as diretrizes do MVP, organizei uma dinâmica para consolidar a jornada do usuário e, a partir dela, definir métricas e ações para comprovar o experimento de MVP.

Entrevista Rápida se torna ferramenta estratégica para levantar informações sobre usuários

Apresentação sobre ferramenta de entrevista rápida usada para levantar informações sobre usuários.

Service Design em Grandes Corporações

Costumamos ver as metodologias do Service Design aplicadas principalmente na criação de novos serviços ou startups. Neste encontro, conversaremos sobre como essas ferramentas podem ser usadas para o redesign de serviços já existentes e na manutenção deles.

A partir de um caso real, debateremos sobre os desafios e os aprendizados para utilizar os processos de colaboração, cocriação e a empatia dentro de uma grande corporação, com diversas equipes e uma cultura consolidada.